Mostrando postagens com marcador Tanzânia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Tanzânia. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

Tanzânia busca compradores para a castanha

O governo da Tanzânia planeja vender cerca de 150 mil toneladas de castanha de caju excedente a compradores privados, já que as fábricas locais não conseguirão processar todas a produção adquirida pelo governo dos agricultores.

No mês passado, o presidente John Magufuli ordenou um aumento de 94% nos preços da castanha de caju para pelo menos 3.000 xelins (US $ 1,31) por quilo, para proteger os produtores dos baixos preços e ordenou ao governo adquirir toda a safra, depois que compradores privados se recusaram a pagar o preço estipulado.

O governo já pagou 206 bilhões de xelins (US $ 90 milhões) para 100.534 agricultores e, desde 24 de dezembro, adquiriu 188.799 toneladas de castanhas.

A Tanzânia normalmente exporta um percentual expressivoda safra de castanha de caju da África Oriental, segundo a Fundação Internacional de Castanhas e Frutos Secos e a sua receita de exportação dobrou para US $ 540 milhões no ano passado, segundo dados oficiais.(Fonte: Reuters/Nasdaq)


segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Tanzânia: reformas chaves para evitar crises na cajucultura

A Tanzânia é o sexto maior produtor mundial de castanha de caju. Nos últimos anos, esta commoditie assumiu relevância na economia do país, com as exportações saltando de US $ 187 milhões em março de 2016 para US $ 340,9 milhões em março de 2017, segundo números do Bank of Tanzania (BoT). Esses números são superiores aos ganhos combinados das exportações de café, algodão, chá, cravo e sisal do país.

Conforme observado no periódico tanzaniano The Citizen, enquanto a Tanzânia faturou US $ 270 milhões com as cinco culturas tradicionais de exportação, essa soma foi de US $ 70,9 milhões MENOR do que a obtida somente com as exportações de castanha de caju! 

Recentemente, contudo, a longa queda de braço entre produtores e atravessadores na definição do preço da castanha fez com que o governo tanzaniano entrasse firme na disputa com uma medida radical. O presidente da Tanzânia, John Magufuli, interveio, definindo o preço do castanha de caju em no mínimo 3,3 mil xelins por quilo (aproximadamente R$ 5,51). Quando ainda não havia compradores, o presidente orientou o governo a comprar toda a safra de cerca de 220.000 toneladas em dinheiro.

O governo também decidiu reformular as políticas existentes e os marcos regulatórios do sistema cooperativo, acreditando que eles falharam no agronegócio em geral e no marketing de culturas em particular.

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Tanzânia quer processar toda a produção de castanha do país

Além de comprar diretamente do produtor cerca de 220 mil toneladas de castanha de caju (produção estimada para a safra 2017/18), o governo da Tanzânia está considerando seriamente a importação de maquinário para processar localmente toda essa produção.

Os importadores de matéria prima africana começam a ficar preocupados com a tendência cada maior dos países africanos processarem localmente a sua produção. Vietnã e Índia já buscam outras alternativas, em médio prazo,  para suprirem suas indústrias.

sábado, 17 de novembro de 2018

Governo da Tanzânia compra toda a produção nacional de castanha

Áreas produtoras de castanha na Tanzânia
O Presidente da Tanzânia, John Magufuli, ordenou a compra de toda a produção de castanha da presente safra daquele país, depois que os comerciantes se recusaram a pagar aos agricultores o preço estabelecido pelo Governo. O chefe de Estado ordenou a compra da produção pelo exército da Tanzânia ao preço de 3.300 xelins tanzanianos (1,28 euros) por quilo, muito acima do preço que os comerciantes estavam dispostos a pagar.

Em outubro, Magufuli decretou a duplicação do preço da castanha, antes fixado em 1.500 xelins (0,58 euros) por quilo e que, segundo os agricultores, não cobria os custos de produção. Contudo, os comerciantes recusaram-se a ajustar esse preço, o que motivou a decisão do chefe de Estado.

Atualmente a castanha de caju representa uma das principais culturas de exportação da Tanzânia. O governo tanzaniano prevê uma produção nacional de 210.000 a 220.000 toneladas da castanha para o ano de 2018.

"Nós vamos comprar toda a produção, vamos procurar compradores e vamos consumir o que não puder ser vendido", assegurou o Presidente Magufuli, em comunicado. A decisão do Presidente do país foi criticada por empresários e pela oposição, que o acusam de ir contra a política oficial do Governo de liberalizar o comércio.