Mostrando postagens com marcador Traça das castanhas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Traça das castanhas. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 12 de abril de 2019

Tudo sobre a traça das castanhas

Vale a pena assistir a minha conversa, no vídeo abaixo, com o entomologista Lindemberg Mesquita sobre a "Traça das  Castanhas", considerada a principal praga do cajueiro no Brasil.  Lindemberg responde a várias perguntas e tira muitas dúvidas sobre o assunto. uma Dentre os temas abordados destacam-se os "sintomas e métodos de controle". 

Na descrição do vídeo no YouTube, disponibilizo também dois links de publicações relacionadas ao tema.

Assista, curta e deixe os seus comentários.



quinta-feira, 11 de abril de 2019

Traça das castanhas: vídeo novo

A literatura brasileira sobre a ocorrência de pragas do cajueiro menciona a existência de pelo menos 97 insetos e sete ácaros associados à esta cultura. Dentre essas pragas, a traça das castanhas (Anacampsis phytomiella) é a principal praga dos frutos do cajueiro no campo, causando prejuízos aos diferentes elos que compõem a cadeia produtiva do caju. O inseto foi detectado pela primeira vez em 1982, em São Benedito, no Ceará.  

Considerando a importância do tema, o Canal da Cajucultura lançará amanhã, 12/4, um vídeo onde o entomologista Lindemberg Mesquita, da Embrapa, falará sobre os principais  sintomas, as características da praga e dos diferentes métodos de controle. 

Inscreva-se no Canal da Cajucultura, conheça a sua videoteca e envie sugestões de temas para novos vídeos.

quarta-feira, 10 de abril de 2019

Traça das castanhas: prejuízo à vista

Dentre as pragas que atacam o cajueiro, as da castanha revestem-se de fundamental importância, por ser este o produto de maior interesse econômico. Um desses vilões é a traça das castanhas (foto).

Dados de pesquisa indicam que o grau médio de infestação da traça das castanhas no Ceará é de 15% e no Piauí de 11%.  Fazendo um cálculo rápido, considerando as previsões de safra de castanha desses dois estados para o corrente ano, isto representa uma perda de cerca de 8.984 toneladas de castanha no Ceará e 2.675 toneladas no Piauí, visto que a castanha furada não possui valor comercial. 

Em relação à produção nacional, isto representa 10,22% da castanha de caju produzida no Brasil e, a preços de hoje, resulta num prejuízo financeiro de quase 47 milhões de reais por ano. E estamos falando apenas do Ceará e Piauí.

Quer saber mais sobre este assunto? Aguarde o próximo vídeo do Canal da Cajucultura, em fase final de produção, que abordará todos os detalhes desta importante praga.