Mostrando postagens com marcador Moçambique. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Moçambique. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 30 de julho de 2019

Moçambique: assistência integrada à cajucultura

Resultado de imagem para mapa de moçambique

As autoridades da província de Nampula, no norte de Moçambique (ver mapa), pretendem abrir este ano sete "pólos logísticos" para prestar assistência integrada aos produtores em toda a cadeia de valor da produção agrícola.

Estes pólos fornecerão serviços de assistência técnica, armazenamento e processamento destinados a produtores e comerciantes em cada uma das sete áreas, anunciou terça-feira o Diretor Provincial da Agricultura, Jaime Chissico, durante um seminário organizado pela Bolsa de Mercadorias de Moçambique (BMM).

O BMM, um órgão sob a supervisão do Ministério da Indústria e Comércio, iniciou uma série de reuniões esta semana na cidade de Nampula com funcionários do governo, produtores e comerciantes, para divulgar os serviços que oferece, essencialmente em intermediação em mercados agrícolas, para ajudar em marketing.

O cajueiro é a cultura de maior expressão econômica na província de Nampula, região de maior produção de castanha de caju do país, em crescimento 2015.

"Em 2015, 38 mil toneladas de castanhas de caju foram comercializadas em Nampula", disse Chissico, "mas nesta safra, o número é de 70 mil toneladas".

África dando exemplo na cajucultura.

segunda-feira, 17 de junho de 2019

Moçambique: 200 mil t de castanha de caju

O Sub-setor do caju moçambicano, que emprega cerca de 20 mil pessoas, pretende produzir no próximo quinquênio até 200 mil toneladas da castanha do caju, quantidade produzida na década 70. O diretor nacional do Incaju, Ilídio Bande, afirma que com os fundos disponibilizados pela USAID a quatro indústrias em Nampula, bem como a linha de financiamento na ordem de 60 milhões de meticais para produtores, vai fomentar a produção comercial da castanha.

A produção comercializada da castanha de caju em Moçambique (mapa) aumentou de 80 mil toneladas nos anos 2014 e 2015 para 142 mil toneladas na safra 2018/2019. A produção de mudas de cajueiros e respectiva distribuição aos produtores na última década, são apontadas como principais fatores de incremento de produção da castanha.

"Anualmente temos novos plantios que entram em produção, temos um trabalho muito grande na questão do manejo integrado do caju. Estamos pulverizando por ano cerca de 5.5 milhões de cajueiros", explicou Ilídio Bande.

Nos anos de 2014 e 2015 o país tinha apenas 10 fábricas de processamento da castanha em funcionamento. Neste momento estão funcionando 17 unidades fabris com a capacidade instalada para processar 105 mil toneladas. Em 2018 pelo menos 60 mil toneladas foram processadas em todo o país.


sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

Moçambique quer liderar produção de castanha

Moçambique pretende voltar a liderar a produção mundial da castanha de caju. O desafio foi assumido pelo Diretor do Instituto do Fomento do Caju (INCAJU), Ilídio Bande, que anunciou para este ano uma arrecadação de 100 milhões de dólares com a comercialização do produto. 

Atualmente com uma produção média anual de 125 mil toneladas de castanha, Moçambique quer reassumir o protagonismo na produção deste produto que tem como principais mercados a União Europeia, Estados Unidos da América e a China. 

Vale lembrar que Moçambique, localizado no sudeste do continente africano (área destacada em verde no mapa), chegou a ser o maior produtor mundial de castanha de caju na década 70, com uma produção comercializada de 216 mil toneladas anuais. Não será um desafio trivial.

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Moçambique reforma sistema interno de comercialização de castanha

Segundo o diretor do Instituto Nacional para a Promoção de Castanha de Caju (INCAJU), Ilidio Bande, Moçambique vai mudar o atual sistema interno de comercialização de castanha. 

De acordo com o diretor, o processo de comercialização deverá ser dividido em 3 fases, a primeira das quais será reservada aos comerciantes locais. Os comerciantes estrangeiros poderão participar da segunda e terceira fases de comercialização da castanha.

De acordo com o Sr. Bande, essas diversas mudanças fazem parte de um novo regulamento para fornecer uma estrutura de venda para o restante da cadeia de valor da castanha no país.

Moçambique espera colher este ano uma produção de 140.000 toneladas de castanha. Sua meta é atingir a marca de 200.000 toneladas, volume alcançado antes da guerra civil naquele país.

Segundo dados da Associação de Industriais de Caju (Aicaju) de Moçambique, existem 13 fábricas de processamento de castanha de caju que empregam cerca de 20 mil trabalhadores

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Moçambique quer voltar a ser referência mundial na produção de castanha

Moçambique quer voltar a ser uma referência mundial na produção e comercialização da castanha de caju. Segundo o Ministro da Agricultura e Segurança Alimentar. Higino de Marrule, neste momento estão em curso ações para ampliação das áreas de produção e aumento da produtividade desta cultura. De acordo com Marrule, este ano foram produzidas e plantadas mais de 3.5 milhões mudas de cajueiros.
A previsão da safra de castanha moçambicana para 2018 é de 140 mil toneladas.