Mostrando postagens com marcador Instituto Caju Brasil. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Instituto Caju Brasil. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 18 de março de 2020

Castanha, amêndoa e preços: uma difícil equação


"..Considerada uma commoditie, posto que é produzida, beneficiada e consumida em larga escala em diversas regiões do planeta, o preço da castanha in natura no Brasil deveria se comportar com tal. Infelizmente não é o que acontece. Enquanto no mercado internacional seus preços nunca são inferiores a U$ 1, no Brasil nunca esteve próximo deste valor. Não é por falta de demanda nem por excesso de oferta. 

Uma provável explicação para isto, esteja no reduzido (e atual) número de grandes potenciais compradores na indústria e na dificuldade dos produtores fazerem a sua castanha chegar diretamente a estes, o que estimula a atuação de atravessadores, fazendo com que esse preço seja facilmente controlável. Agregado a isso, tem-se ainda o alto custo de produção, em especial mão de obra, e a baixa qualidade da castanha produzida no país."

O texto acima faz parte do artigo escrito por Alderito Oliveira, Diretor Financeiro do Instituto Caju Brasil, com  o título "Castanha, amêndoa e preços: uma difícil equação" e está na última edição do Boletim ICB - o agronegócio caju em números. Quer ler o conteúdo na integra? Clique aqui e tenha acesso a informação de qualidade sobre o agronegócio caju no Brasil e no mundo.

terça-feira, 17 de março de 2020

Acesse grátis a edição Nº 5 do Boletim ICB


Já encontra-se disponível para download a última edição (Nº 5) do Boletim ICB - o agronegócio caju em números, publicação editada pelo instituto Caju Brasil, pioneira na divulgação de notícias e estatísticas sobre o o setor da cajucultura no Brasil.

Leia nesta edição:
Opinião: “Castanha, amêndoa e preços: uma difícil equação”
Safra brasileira de castanha de caju 2020
Exportações brasileiras de ACC
Simpósio Internacional do Caju
Consumo de ACC: Índia e EUA lideram
Competitividade de ACC no mercado de amêndoas
Mercado internacional: O momento é de apreensão
Preços internacionais da castanha 

Clique aqui para baixar o Boletim ICB gratuitamente. O Boletim também pode ser visualizado na plataforma ISSUU por meio do link https://issuu.com/institutocajubrasil 

sexta-feira, 13 de março de 2020

Inscrições abertas para o Simpósio Internacional do Caju


Encontram-se abertas as inscrições para o Simpósio Internacional do Caju. Para inscrever-se os interessados devem acessar o seguinte endereço: www.pecnordeste.com.br  Veja acima a tabela de preços (Lote 1), com vigência até 29 de abril de 2020.

quarta-feira, 11 de março de 2020

Safra brasileira de castanha de caju 2020


O IBGE divulgou nesta terça-feira (10/3) o segundo levantamento da safra brasileira de castanha de caju para o ano de 2020, tendo como base o mês de fevereiro. A estimativa inicial é de uma produção de 125.566 toneladas. Como sempre repetimos neste Blog, estas primeiras estimativas geralmente variam com o decorrer do tempo, diferindo um pouco dos números finais, o que é perfeitamente normal quando o assunto é previsão de safra agrícola . Em relação à safra de 2019 (139.383 t) os números apontam para uma queda de 9,9 %.  A área a ser colhida está estimada em 429.316 hectares. 

O Blog da Cajucultura compilou os dados referentes aos três principais estados produtores na tabela abaixo.

Unidade da Federação
Previsão de área colhida (ha)
Produção (tonelada)
Ceará
271.540
 70.576
Piauí
 71.098
   23.833
Rio Grande do Norte
 51.516
 17.211 


Na próxima segunda-feira  (16/3) o Boletim ICB - o agronegócio caju em números, um publicação do Instituto Caju Brasil, em sua edição de número 5, apresentará maiores detalhes acerca deste segundo levantamento para 2020.

sexta-feira, 6 de março de 2020

Conheça as normas para a sessão de pôsteres no Simpósio Internacional do Caju



A Comissão Organizadora do Simpósio Internacional do Caju divulgou as Normas para submissão de trabalhos sob a forma de Pôster. A referida Sessão tem por objetivo apresentar tecnologias e práticas sustentáveis para o agronegócio caju.

Clique no link abaixo e tenha acesso às instruções bem como ao modelo de pôster recomendado pela organização do evento.

Normas da sessão de posteres


segunda-feira, 2 de março de 2020

Simpósio Internacional do Caju

De 4 a 6 de junho de 2020, em Fortaleza, o Simpósio Internacional do Caju. mais detalhes no vídeo abaixo.


sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

ICB discute parceria com o IBRAF

Vitor Oliveira/ICB e João Bosco/IBRAF
Os presidentes do Instituto Caju Brasil – ICB e Instituto Brasil África – IBRAF reuniram-se nesta quinta-feira, 27/2, para discutirem possibilidades de parceria entre ambas as organizações.

O IBRAF, dirigido pelo Professor João Bosco Monte (à direita na foto), à semelhança do ICB, também é uma organização não governamental, sem fins lucrativos. Tem como escopo maior promover o engajamento entre o Brasil e o continente africano, defendendo o desenvolvimento econômico dos governos e dos interesses do setor privado, atuando nas áreas de educação, saúde, ciência e tecnologia, turismo, esportes, indústria e comércio e agricultura.

Com sede em Fortaleza, o IBRAF foi fundado em 2010 e possui  um vasto portfólio de serviços prestados, destacando-se o  Fórum Brasil África, que este ano chega à sua 8ª edição, com o tema “Recursos Naturais: Soluções para o Crescimento Econômico”, constituindo-se num dos principais eventos para o fortalecimento das relações entre o Brasil e o continente africano. Este ano o evento ocorrerá dias 3 e 4 de novembro, no Sheraton WTC, em São Paulo.

Dentre os possíveis temas de parcerias discutidas entre o ICB e IBRAF, destaca-se a capacitação em diversas áreas da cadeia produtiva do caju. Novas reuniões deverão ser realizadas para apresentação de proposta por parte do ICB ao IBRAF.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

Instituto Caju Brasil divulga o Boletim ICB Nº4


O Instituto Caju Brasil divulgou nesta segunda-feira, 17/2, a edição Nº 4 do Boletim ICB - o agronegócio caju em números. Fique por dentro do que acontece no agronegócio caju em âmbito nacional e internacional.

Com veiculação mensal, o Boletim ICB é o único informativo brasileiro com foco exclusivo no agronegócio caju.

Clique aqui para acessar o Boletim ICB.

sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

Baixe grátis o Boletim ICB Nº3 - o agronegócio caju em números


Leia na edição nº3 do Boletim ICB - o agronegócio caju em números:

• CE, PI e RN respondem por 90,5% da produção brasileira
• Camboja exportou 202 mil t de castanha em 2019
• Crescem as exportações de ACC do Vietnã para a China
• Perspectivas de safra pelo mundo
• Preços internacionais da castanha
• Consumo de ACC no Brasil

Clique aqui para baixar o Boletim ICB_3

quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

Castanha: preços internacionais em alta?


A principal safra de castanha de caju 2020 em âmbito mundial (Hemisfério Norte) começa em fevereiro e representa 75% da produção mundial. Alguns relatórios indicam que pode começar entre duas e quatro semanas mais tarde em algumas áreas, mas até o presente não há notícias adversas significativas.

Segundo a consultoria SAMSONS TRADERS, é muito cedo para prever a faixa de preço, mas o sentimento é de que os preços da castanha in natura abrirão em níveis altos porque os processadores internacionais não possuem muito estoque. E, como de costume, pagarão bônus pelas chegadas antecipadas, porque os rendimentos são maiores.

Quer saber mais sobre este assunto? Não deixe de ler a edição de janeiro do Boletim ICB - o agronegócio caju em números, que será disponibilizado amanhã neste Blog. Já leu os dois números anteriores? Clique aqui para baixar o número 1 e aqui para baixar o número 2.

quinta-feira, 9 de janeiro de 2020

#Consuma caju: compartilhe esta ideia




Neste sábado, 11/1, o Instituto Caju Brasil e o Museu do Caju, em parceria com este Blog, lançam o quarto cartaz da campanha Consuma Caju. A iniciativa se estenderá até o final do corrente ano, com uma nova peça publicitária sendo veiculada sempre aos sábados. O êxito da campanha dependerá da participação de todos no compartilhamento dos referidos cartazes nas diferentes redes sociais.
Aproveitamos a oportunidade para mostrar aos que ainda não viram, as três primeiras peças da campanha. Faça a sua parte. Se alguém produz, alguém tem que consumir. E mais: a sustentabilidade da cajucultura brasileira passa necessariamente pela conquista do mercado interno.

Pense nisso! Compartilhe esta ideia.


sexta-feira, 3 de janeiro de 2020

Consuma caju (e seus derivados)



O Instituto Caju Brasil, o Museu do Caju e o Blog da Cajucultura iniciaram na última semana de dezembro uma campanha para promoção do consumo do caju e seus derivados nas principais mídias digitais (Instagram,Facebook, Tweeter, YouTube, WhatsApp, etc). Esta campanha terá continuidade durante todo o ano de 2020, com novos cartazes sendo divulgados sempre aos sábados. O apoio dos seguidores deste Blog no compartilhamento  dos cartazes nas diversas mídias sociais é fundamental para a divulgação do conteúdo da campanha.

terça-feira, 17 de dezembro de 2019

Safra de castanha 2019: 133,9 mil toneladas


O Instituto Caju Brasil divulgou no seu Boletim Nº 2/2019 os números levantados pelo IBGE referentes ao levantamento da safra brasileira de castanha de caju para 2019. Com base nestes dados a estimativa da produção brasileira é de 133.976 toneladas e uma produtividade média de 314 kg de castanha/hectare. Em relação a igual período de 2018 os números apontam para uma queda de 5,2 %. A área colhida está estimada em 426.666 hectares. O Boletim ICB consolidou na tabela abaixo as informações referentes aos seis maiores produtores brasileiros.


Estimativa de produção de castanha de caju 2019 – referência: novembro
Unidade da Federação
Área colhida (hectare)
Produção
(tonelada)
Rendimento médio (kg/ha)
Ceará
270.277
81.870
303
Piauí
69.388
21.631
312
Rio G. do Norte
51.397
16.855
328
Bahia
15.000
3.000
200
Maranhão
12.425
4.024
324
Pernambuco
2.889
4.400
1523
Fonte:Instituto Caju Brasil, 2019 (a partir de dados do IBGE).

Com base nestes números, o Brasil deverá obter em 2019 uma produção de castanha praticamente igual à de 2018, com o Ceará respondendo por 61% da produção total. Saiba mais.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

Instituto Caju Brasil lança a 2a. edição do Boletim ICB


O Instituto Caju Brasil disponibiliza aos cajucultores brasileiros a segunda edição do Boletim ICB, publicação pioneira no Brasil na divulgação de estatísticas relacionadas ao agronegócio caju em âmbito nacional e internacional.

 Destaques da segunda edição:

• Consumo interno de ACC no Brasil iguala as exportações em 2019
• Safra brasileira de castanha 2019: quem é quem
• Os números mostram: o cajueiro anão supera o gigante no Ceará
• Vietnã bate recorde de importações de castanha
• Costa do Marfim quer produzir um milhão de t de castanha em 2023

Clique aqui para baixar gratuitamente o Boletim ICB.

domingo, 15 de dezembro de 2019

Agronegócio caju: propostas inovadoras


Publicado em 2008, mas bastante atual, disponibilizamos hoje aos leitores do Blog o livro "Agronegócio do caju no Ceará: cenário atual e propostas inovadoras", que tem como autor principal o economista Francisco Mavignier Cavalcante França, Doutor em Desenvolvimento e Meio Ambiente e técnico do Instituto Centec.

Este estudo visa identificar os processos produtivos, as rotas tecnológicas adotadas, os sistemas de gestão, os mecanismos de mercado e as atitudes dos produtores e das instituições que estão impactando, de forma positiva ou negativa, a cadeia produtiva do caju.

Em resumo, configura-se como um guia para orientar a boa governança, a partir de um marco referencial centrado no Pólo Pacajus-Horizonte, apresentando a situação atual e a desejável para o desenvolvimento sustentável dessa sub-região. Esse marco referencial foi elaborado por meio de uma série de sondagens de campo, seminários, visitas técnicas e discussões com todos os perfis de atores da cadeia do caju, além de uma ampla pesquisa bibliográfica sobre as temáticas estudadas.

Clique aqui para baixar a publicação, também disponível no site do Instituto Caju Brasil.


terça-feira, 10 de dezembro de 2019

Quem é quem na cajucultura


Segundo dados do Censo Agropecuário do IBGE de 2017, 48% dos estabelecimentos que cultivam caju no Brasil estão no Ceará (cerca de 25 mil estabelecimentos), que lidera a produção nacional de castanha. Quando o produto é o caju de mesa, o Piauí assume a dianteira, seguido pelo Ceará e Rio Grande do Norte. Como já dito, os dados referem-se ao ano de 2017; provavelmente em dois anos devem ter ocorrido mudanças.

No Ceará, os municípios de Bela Cruz, Beberibe, Pacajus e Trairi são os maiores produtores de castanha de caju. Quer saber mais? Aguarde a segunda edição do Boletim do Instituto Caju Brasil, com lançamento previsto para a próxima segunda-feira (16 de novembro). Fique por dentro das estatísticas de produção de castanha de caju no Brasil e nos principais produtores mundiais.

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Safra de caju 2019: balanço e perspectivas

Na manhã desta quinta-feira participei de uma transmissão ao vivo feita pela Embrapa Agroindústria Tropical, onde apresentei alguns dados estatísticos e análises sobre a "Safra de Caju 2019". Caso você não tenha assistido, clique no vídeo abaixo e fique por dentro do assunto.


quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Ceará: cajueiro anão ganha em produção


Na última terça-feira,  a Sra. Regina Dias (IBGE/GCEA Ceará) fez uma apresentação na Câmara Setorial da Cajucultura sobre os dados do Censo Agropecuário de 2017, com foco nos números relativos ao setor da cajucultura. Alguns destaques da apresentação:

- Os municípios cearenses de Bela Cruz, Beberibe, Pacajus e Trairi destacam-se como os maiores produtores de castanha;
- Maiores produtores brasileiros: Ceará, Piauí, Rio Grande do Norte, Bahia e Maranhão;

Em relação às perspectivas para a safra de 2019, os números preliminares do IBGE indicam que a área colhida de cajueiro comum será de 179.447 hectares e a de anão precoce de 90.974 hectares. Os números se invertem quanto à estimativa de produção de castanha, prevendo-se o anão precoce com uma produção de 42.387 toneladas contra 35.634 toneladas produzidas pelo cajueiro comum. O Ceará é o único estado da federação onde o IBGE faz o levantamento da produção de castanha separando o cajueiro comum do anão precoce.

Digno de elogios o trabalho feito pelo IBGE/GCEA Ceará. Na próxima edição do Boletim ICB - Agronegócio Caju em Números, do Instituto Caju Brasil, esses números serão apresentados em maiores detalhes.

terça-feira, 19 de novembro de 2019

Câmara Temática do Caju reúne-se hoje


A Câmara Temática do Caju tem reunião marcada para as 14h00, na sede da Federação da Agricultura do Ceará (FAEC). Entre os principais itens da pauta, destacam-se:

1. Estimativa de Safra de Castanha de Caju para 2019 - Regina Dias (IBGE);
2. Ações do Instituto Caju Brasil para o Desenvolvimento da Cajucultura – Vitor Hugo de Oliveira (Instituto Caju Brasil);
3. Eleição de Diretoria da CT Caju (Presidente; Vice-Presidente; Secretário Geral) 2020;
4. Criação da Medalha Jaime de Aquino, através de Portaria da Faec e apoio Sedet/ Assembleia Legislativa / Ascaju /Instituto Caju Brasil, homenageando o Produtor/Empresa por inovação tecnológica na Cajucultura.

Serviço:
Endereço da FAEC - Av. Eduardo Girão, 317 - Bairro Jardim América, Fortaleza.



segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Boletim ICB divulga dados do agronegócio caju


O Instituto Caju Brasil lança a partir desta data o Boletim ICB - agronegócio caju em números, com informações conjunturais da cajucultura em âmbito nacional e internacional. O Boletim será publicado mensalmente e ficará disponível para download no site do Instituto (www.cajubrasil.org) e nas principais mídias sociais que tratam do agronegócio caju (Blog da Cajucultura, Twitter Cajucultura, etc). Clique aqui para visualizar o Boletim ICB.