Mostrando postagens com marcador Safra de castanha. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Safra de castanha. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 20 de junho de 2019

Castanha: produção nacional não atende a demanda

Divulgamos ontem neste Blog os dados do IBGE referentes ao sexto Levantamento Sistemático da Produção Agrícola em relação à castanha de caju. Os números são pífios e mostram uma tendência de queda, mesmo considerando que poderão mudar a partir de agosto. De qualquer modo repetem o que se tem visto nos anos anteriores. Em 2007 a produção nacional foi de 140 mil toneladas. Para 2019 a previsão é de 120 mil.

Os reflexos destes números nas exportações de amêndoa de castanha de caju (ver gráfico) feitas pelo Brasil de 2006 a 2018 (dados da Statista) são visíveis, com um declínio acentuado nos últimos 11 onze anos. De mais de 50 mil toneladas de amêndoas de castanha de caju exportadas em 2007, o Brasil exportou pouco mais de 12 mil toneladas em 2018. As importações de castanha da África, de certo modo, evitaram uma queda maior. Em 2017 o Brasil importou cerca de 15 mil toneladas de castanha para suprir a indústria local.

Resumo da história: a produção nacional de castanha não dá conta de atender a demanda internacional e ao mercado interno (crescente e de tamanho desconhecido).

 ,

sexta-feira, 10 de maio de 2019

Safra de castanha de caju 2019

O IBGE divulgou ontem a quarta estimativa de safra de castanha de caju para 2019, tendo como base o mês de abril. A estimativa da produção nacional é de 120,4 mil toneladas de castanha, representando uma alta de 5,2% em relação a março. 

No Ceará, maior produtor (53,8% do total), a produção foi reavaliada com 6,7% de crescimento, em decorrência do rendimento médio que cresceu nesse mesmo valor. Outros importantes produtores de castanha-de-caju são Piauí, com 24,7 mil toneladas (20,5% do total nacional) e Rio Grande do Norte, com 16,8 mil toneladas (13,9% do total). Pernambuco reavaliou suas estimativas este mês, prevendo alta de 70,4%, devido ao aumento da produtividade e efeito das chuvas que favoreceram o desenvolvimento das plantas. 

Em relação a 2018, a produção de castanha-de-caju caiu 14,8%. A área plantada (439,0 mil hectares) diminuiu em 4,6% e o rendimento médio (280 kg/ha) caiu em 12,8%. No Ceará, a produção em 2019 teve queda de 21,9% em relação a 2018. Importante lembrar que estes números ainda são bastante preliminares, visto que a safra no Ceará e Rio Grande do Norte ocorre no segundo semestre do ano.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

IBGE divulga estimativa da safra de castanha

A estimativa para a produção brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas de 2019 cresceu, segundo o novo levantamento do IBGE. Pelas informações colhidas, a safra 2019 deve ficar 1,7% acima da safra 2018, enquanto a área a ser colhida é de 62,0 milhões de hectares, 1,9% maior que na atual safra. 

Destaques na estimativa de novembro de 2018 em relação a outubro

Em novembro, destacaram-se variações nas seguintes estimativas, na comparação ao mês de outubro: castanha de caju (4,0%), tomate (3,4%), café arábica (2,5%), feijão 3ª safra (1,6%), cana-de-açúcar (0,4%), milho 2ª safra (0,4%), algodão herbáceo (0,2%), soja (0,2%), feijão 2ª safra (0,2%), milho 1ªsafra (-0,1%), café canephora (-0,5%), feijão 1ª safra (-1,0%), aveia (-1,3%), trigo (-2,2%), sorgo (-2,9%) e cevada (-9,2%).

Com relação à variação absoluta, os destaques positivos couberam à cana-de-açúcar (2.512.285 t), ao milho 2ª safra (197.864 t), à soja (189.675 t), tomate (47.377 t), ao café arábica (64 726 t), ao feijão 3ª safra (6 920 t) e à castanha-de-caju (4 942 t). Os destaques negativos ficaram com o trigo (126.379 t), o milho 1ª safra (36.170 t), o feijão 1ª safra (15.229 t) e o café canéfora (4.180 t).

Ceará responde por 54,8% da produção

A estimativa da produção de castanha de caju é de 129,3 mil toneladas, crescimento de 4,0%, quando comparada ao mês anterior. O Ceará, maior produtor nacional, estima uma produção de 70,9 mil toneladas, aumento de 8,5% em relação a outubro, sendo responsável por 54,8% do total a ser produzido no país em 2018. O Piauí é o segundo maior produtor, tendo estimado 25,2 mil toneladas, enquanto o Rio Grande do Norte é o terceiro, com produção estimada de 18,3 mil toneladas. Piauí e Rio Grande do Norte apresentaram, respectivamente, reduções de 2,1% e 1,5% na estimativa da produção em relação ao mês anterior. Esses três estados devem ser responsáveis por 88,4% da produção nacional. Em relação ao ano anterior, a estimativa da produção de 2018 encontra-se 3,9% menor.



domingo, 28 de outubro de 2018

É tempo de colheita

Outubro é mês de colheita de caju no Ceará. As previsões indicam que a safra de castanha deste ano deve superar as expectativas. Nas fotos abaixo a variedade CCP 51, do maturi ao fruto pronto para colheita. Um bom domingo a todos.
CCP 51 - maturi
CCP 51 - fruto apto para colheita

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Bela Cruz: maior produtor de castanha de cajueiro comum e anão

Bela Cruz e Chorozinho foram os municípios do Ceará que mais produziram castanhas oriundas de áreas plantadas com cajueiro comum em 2017. Já em relação à produção de castanha proveniente de cajueiro anão precoce, Bela Cruz mantém a posição, seguida por Beberibe. Destaque para a produtividade do cajueiro anão em Bela Cruz: 600 quilos de castanha por hectare contra 300 quilos do cajueiro comum.
Para 2018 a previsão de safra brasileira de castanha de caju é de 127 907 toneladas de castanha, a serem colhidas numa área de 501 739 hectares, com um rendimento médio de 265 kg de castanha por hectare. Os dados são IBGE, referentes ao LSPA (Levantamento Sistemático da Produção Agrícola) de setembro de 2018.

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Moçambique quer voltar a ser referência mundial na produção de castanha

Moçambique quer voltar a ser uma referência mundial na produção e comercialização da castanha de caju. Segundo o Ministro da Agricultura e Segurança Alimentar. Higino de Marrule, neste momento estão em curso ações para ampliação das áreas de produção e aumento da produtividade desta cultura. De acordo com Marrule, este ano foram produzidas e plantadas mais de 3.5 milhões mudas de cajueiros.
A previsão da safra de castanha moçambicana para 2018 é de 140 mil toneladas.