sexta-feira, 16 de novembro de 2018

O poeta e sua obra

Atendendo a pedidos de leitores deste Blog, transcrevo alguns versos do recém-lançado cordel do poeta Gerardo Frota, mais conhecido como Pardal (foto), tecendo loas ao caju.
Pardal e sua obra, em dia de lançamento no Museu do Caju

"Anacardium occidentale"
é o nome binomial
Do famoso cajueiro
Uma planta tropical
Tem origem no Brasil
Ele é quase nacional

O que vou dizer você veja
Até cachaça e cerveja
Do caju são fabricados
Picolé, sorvete e creme
O cabra come que geme
São os famosos gelados

Alimentos nutritivos
Na castanha são ativos
São ricas em proteínas
Fibras e sais minerais
Potássio, ferro e outros mais
Sem falar nas vitaminas

Tem usos medicinais
Diabetes, doenças renais
Reduz o colesterol
Alivia o reumatismo
Na escuridão do artritismo
A castanha é como o sol

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

Blog da Cajucultura no Instagram

Também estamos no Instagram. Priorizando imagens e informações curtas, com textos em português, francês e inglês sobre o cajueiro e seus derivados. Siga o @blogdacajucultura no Instagram.

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Workshop discute sustentabilidade e inovação na cajucultura do Ceará

Acontece hoje, 14/11, às 19 horas, na Universidade de Fortaleza (Unifor), o Workshop sobre Sustentabilidade e Inovação na Cajucultura do Ceará. O evento será aberto à comunidade acadêmica e às demais pessoas interessadas no tema e apresentará os resultados de estudos realizados por alunos e professores do PPGA em várias cidades do Ceará. 

Roselene Del Vecchio e Minelle Silva. (Foto: Ares Soares/Unifor).
O debate contará com a participação da Embrapa e do Banco do Nordeste, além de representantes da cajucultura no estado e professores e alunos que atuaram no projeto, disseminando suas visões sobre o cultivo e suas inovações.

Ao longo dos últimos anos, está cada vez mais clara a necessidade de mudança nas configurações do negócio da cajucultura, uma vez que a gestão tem sido desafiada a ir além de estruturas convencionais e alcançar uma visão voltada para questões como a sustentabilidade. “Todas as organizações interagem ou fazem parte de cadeias de suprimento, as quais incluem a empresa focal, os fornecedores a montante, compradores a jusante e têm incorporado ainda a discussão sobre a inserção de atores não tradicionais. Neste sentido, o estudo de cadeias de suprimento sob a perspectiva da sustentabilidade tem se mostrado relevante na sociedade”, explica Minelle Silva, professor do PPGA e coordenador da pesquisa (foto).

Um bom programa para esta véspera de feriado.

Serviço
Workshop sobre Sustentabilidade e Inovação na Cajucultura
Data: 14 de novembro
Horário: 19h às 21h
Local: Auditório A2
Mais informações: (85) 99101.6454

Nigéria fatura U$ 813 milhões com exportação de castanha


Nos últimos três anos, a Nigéria faturou US$ 813 milhões com a exportação de castanha de caju para os Estados Unidos, Vietnã, Índia, Brasil e Europa.

O país exportou 175 mil toneladas de castanha em 2016 e 220 mil em 2017. Segundo a Associação Nacional do Caju da Nigéria (NCAN), 240 mil toneladas de castanhas são projetadas para 2018.

Segundo a NCAN, as castanhas nigerianas têm como mercado principal as fábricas da Índia e do Vietnã e, nos últimos anos, também têm abastecido parte do mercado brasileiro.

Atualmente a Nigéria é o sexto maior produtor mundial de castanha, mas cerca de 75% a 80% de sua produção é exportada in natura.

Ainda de acordo com a NCAN, constatou-se que no ano passado o Vietnã vendeu uma tonelada de castanha de caju processada por US$ 10 mil no mercado internacional, enquanto os comerciantes nigerianos ganharam apenas US$ 1,2 mil por tonelada de castanha in natura.

.

terça-feira, 13 de novembro de 2018

I Fórum do Agronegócio Cearense

Com a proposta de ser um encontro para debate de oportunidades e desafios do setor, numa promoção do Grupo de Comunicação O POVO, será realizado nesta quarta-feira, 14 de novembro, o I Fórum do Agronegócio Cearense e sua Relação com a Crise Hídrica.  

O evento acontece na Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC) e abordará temáticas relacionadas aos gargalos e desafios enfrentados pelo Agro e a questão hídrica.

O evento destina-se a empresários do agronegócio cearense, gestores públicos que atuam na área, entidades de classe do setor, professores e estudantes do tema (tais como agronomia e engenharia hídrica). 

Além das seis horas de imersão durante o evento, o público também poderá, durante a semana do evento, usufruir de mais informações sobre a temática do Agronegócio lendo um caderno especial publicado no jornal O POVO e ouvindo as inserções sobre o assunto no programa O POVO Economia na Rádio O POVO CBN.

A entrada é gratuita e os interessados em participar podem realizar suas inscrições no Site  ou, ainda, presencialmente no dia do evento.

Serviço:
Data: 14 de novembro.
Tempo de Duração: 06 horas.
Horário: 13:00 -19:00 (credenciamento de 13:00 até 13:30)

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Uma manhã no Museu do Caju

Você já foi ao Museu do Caju? Não? Então vá! Na manhã deste domingo tive o prazer de conhecer o trabalho do Gérson Linhares (foto), cujo nome é sinônimo de Museu do Caju. O Ceará e o Nordeste, precisam conhecer o trabalho social desenvolvido pelo Gérson, bem como o fantástico acervo histórico-cultural que ele reúne. São milhares de fotografias digitais, todas versando sobre a temática caju, uma pinacoteca com telas de diversos artistas, livros, objetos históricos, lojinha com souvenires e produtos derivados do caju. Importante destacar que mais de uma centena de famílias são beneficiadas pelas ações desenvolvidas pelo Museu do Caju no entorno do município de Caucaia (CE). Vale reservar um dia para conhecer esta importante e pioneira iniciativa. Oportunamente, divulgaremos no Instagram do Blog da Cajucultura algumas das imagens que fizemos durante a nossa visita ao Museu.
Gérson, literalmente vestindo a camisa do Ceará e do Caju

Área do Museu reservada a imagens sacras

Sustentabilidade e Inovação na cadeia produtiva do caju


A Universidade de Fortaleza - UNIFOR, em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Rural, Aquicultura e Pesca - SEDRAP e o Sindicato Rural de Beberibe, convidam a todos os interessados no agronegócio caju para assistirem amanhã, terça-feira, das 9 às 11h30, a apresentação dos resultados de um Projeto de pesquisa desenvolvido pelo programa de Pós-Graduação em Administração da UNIFOR sobre "Sustentabilidade e Inovação na cadeia produtiva do caju". A referida pesquisa foi realizada nos municípios de Beberibe, Pacajus, Ocara e Chorozinho. O evento será realizado na Escola Estadual de Educação  profissional Pedro de Queiroz Lima- EEEP, localizada na Avenida Omar Peixoto, s/n, sitio Bom Jardim, em Beberibe.


Comemora-se hoje o "Dia do Caju" no Ceará

Comemora-se hoje em todo o Ceará o “Dia do Caju”. A data faz parte do Calendário Oficial do Ceará e foi escolhida em razão de neste dia, em 2012, a empresa Cione, à época umas das grandes exportadoras de amêndoa de castanha de caju do estado, comemorava 50 anos de existência. 
Antecipando-se à data, o Museu do Caju, em Caucaia, promoveu neste domingo uma intensa programação cultura e recreativa. 
Momento para refletir sobre os avanços e retrocessos que esta atividade, outrora tão pujante, tem vivenciado nas duas últimas décadas. Reitero o que postei há algumas semanas neste Blog: "...sem a união dos diversos segmentos que integram a cadeia produtiva do caju, será extremamente difícil virar o jogo. Em resumo: o agronegócio caju brasileiro precisa de uma instituição forte, não chapa branca, com poder de pressão, sem viés ideológico e coloração político-partidária, que una (e reúna) a cadeia produtiva como um todo. É o primeiro passo". Para quem vive ou sobrevive desta atividade, todo dia é dia do caju.

Dia Estadual do Caju

Imagem: Cortesia Museu do Caju

Prodeter: reunião com cajucultores de Aracati

Logo mais às 14 horas, haverá reunião promovida pelo Prodeter para cajucultores do munícipio de Aracati que tenham interesse em participar do referido programa. 

A reunião será realizada no SINE IDT, localizado na Rua Coronel Alexanzito, 447, Centro, em Aracati. 

domingo, 11 de novembro de 2018

Museu comemora o Dia do Caju

Troféu Meu Caju Cajueiro
O Museu do Caju comemora hoje, antecipadamente, o Dia do Caju no Ceará. Na verdade, no calendário  oficial, 12 de novembro é o dia do caju. Na programação deste domingo, constam a Feira da Cajucultura e a Exposição "Meu Caju Cajueiro". 
Exposição Meu Caju Cajueiro

Este ano o Museu do Caju homenageará algumas pessoas que direta ou indiretamente apoiam as ações do Museu do Caju com a entrega do Troféu Meu Caju Cajueiro.

Segundo Gérson Linhares, idealizador do Museu do Caju, "a data é importante para alertar os governos municipais, estadual e federal para a importância da valorização da cajucultura no Ceará".

O Museu do Caju, local de realização do evento, fica localizado na Rua San Diego Nº 332, Parque Guadalajara, na Grande Jurema, em Caucaia (Ceará). A programação estende-se das 8h00 às 17h00.
Vale conferir também as comidas regionais servidas no restaurante do Museu. Um bom programa para este domingo.


A Imagem do Domingo: Jaime Aquino, o Rei do Caju

Jaime Tomaz de Aquino
Na véspera do Dia do Caju no Ceará, a Imagem do Domingo do Blog da Cajucultura presta uma homenagem ao maior ícone da cajucultura brasileira: Jaime Tomaz de Aquino. 

Jaime nasceu em 26 de março de 1924, no município de Jaguaribe. Órfão de pai e mãe aos 15 anos, ficou aos cuidados de Dom José Terceiro de Sousa, vigário da cidade de Pereiro. Trabalhou como caminhoneiro pelo Nordeste do Brasil e iniciou os negócios vendendo castanha nas confeitarias e fábricas de chocolates de São Paulo.

Proprietário de 171 mil hectares de terras cultivadas com cajueiro nos estados do Piauí e do Ceará. Somente no Piauí, na década de 1990, plantou cerca de 40 mil hectares de cajueiro nas Fazendas Planalto, Alvorada, Esplanada, Serra Nova e São Vicente, todas no município de Pio IX. Conhecido como o "rei do caju", era considerado o maior plantador de cajueiros do mundo e o maior cajucultor do Brasil. 

Graças ao seu espírito empreendedor foi agraciado com várias comendas, como o troféu Sereia de Ouro, 1980 (Grupo Edson Queiroz); Produtor Modelo, 1980 (Ministério da Agricultura); Medalha da Abolição, 1987 (Governo do Estado do Ceará); Medalha do Mérito Industrial, 1990 (FIEC).

Como agrônomo, tive a felicidade de implantar, à época, a maior área irrigada com cajueiro anão precoce do Ceará, na Fazenda Pimenteira, às margens do canal do Trabalhador, na segunda metade da década de noventa, em projeto de parceria da Cione com a Embrapa.

Jaime Aquino faleceu em Fortaleza no dia 16 de abril de 2015, aos 91 anos.

sábado, 10 de novembro de 2018

Blog da Cajucultura no Instagram


Sabia que você pode acessar o Blog da Cajucultura também no Instagram? Com maior prioridade em imagens e fatos relevantes sobre a cajucultura no Brasil e no mundo, vale a pena conhecer o @blogdacajucultura no Instagram.

O caju na literatura de cordel

Neste domingo, dia 11, no Museu do Caju, o Poeta Gerardo Carvalho Frota, mais conhecido como Pardal, fará o lançamento de mais uma obra da literatura de cordel: "Museu do Caju, valorizando e promovendo a cultura do caju cajueiro no Ceará".

O piauiense Pardal, além de poeta, é professor, escritor, cordelista e trovador. É graduado em Filosofia e Comunicação Social (Jornalismo) pela Universidade Federal do Ceará e especialista em Tecnologia Educacional.

Pardal é sócio-fundador do Centro Cultural dos Cordelistas do Nordeste (CECORDEL) localizado em Fortaleza (CE).