quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Crise na cajucultura da Índia (última parte): Planos para o futuro


Vários países africanos estão agora planejando processar cerca de 50% de sua produção de castanha in-house e entrar no mercado mundial em grande escala.
Antes que isso aconteça, a Índia deve tomar as medidas apropriadas para atender sua produção de castanha, diz R K Bhoodes, presidente da CEPCI. A agência traçou um roteiro para aumentar a produção de castanha na Índia para 2 milhões de toneladas até 2025. 
A Índia produziu 0,8 milhão de toneladas em 2017-18. A CEPCI planeja conseguir isso substituindo antigos cajueiros improdutivos por variedades de alto rendimento e adotando novos métodos agrícolas. A CEPCI estima que seu plano aumentará a produtividade no país, dos atuais 700 kg de castanha por hectare para mais de 3.000 kg por hectare.
Manoj M K, diretor técnico da Estação de Pesquisa de Caju da Universidade Agrícola de Kerala, tem mais uma preocupação fundamental quando diz que aumentar o cultivo é um plano de longo prazo e é improvável que resolva de imediato a crise financeira que o setor atravessa. "Na melhor das hipóteses, um cajueiro está pronto para a colheita em três anos." Por isso, os processadores entendem que o governo deve renunciar aos empréstimos e providenciar medidas de estímulo à atividade. 

Nenhum comentário: